Restauração de Notre-Dame ainda não começou 6 meses após incêndio

Ainda não se sabe a causa do incêndio na catedral, no dia 15 de abril

Paris — Seis meses após o grande incêndio que quase destruiu Notre-Dame, o trabalho de restauração na catedral emblemática de Paris ainda não começou devido a um atraso nas obras estruturais, e a data oficial de reabertura ainda será determinada, disseram autoridades nesta terça-feira.

“Ainda estamos na primeira fase, a fase de firmar (a estrutura do monumento), que está demorando mais do que planejado inicialmente”, disse o monsenhor Patrick Chauvet, o principal líder religioso da administração de Notre-Dame.

“Depois haverá a segunda fase, dedicada a avaliar a situação, definiremos quanto a restauração custará. A terceira fase, que começará em 2021, será a fase da restauração em si”, disse Chauvet em uma coletiva de imprensa.

O incêndio de 15 de abril causou o desabamento do teto e do pináculo do marco gótico, mas os campanários principais e as paredes externas foram salvos pelos bombeiros, além de relíquias religiosas e obras de arte inestimáveis.

Ainda não se determinou a causa do fogo.

Quando o incêndio começou, obras de manutenção estavam em andamento no pináculo da catedral e andaimes haviam sido erguidos. As barras de metal dos andaimes derreteram no incêndio. Parte do motivo do atraso, disseram autoridades, é que as barras deformadas tiveram que ser separadas da estrutura da catedral.

O presidente francês, Emmanuel Macron, estabeleceu um prazo de cinco anos para a reforma da catedral, o que coincidiria com a realização da Olimpíada de 2024 em Paris — mas o ministro da Cultura, Franck Riester, disse diversas vezes que o trabalho não deve ser apressado.