Reservistas israelenses mobilizados voltam para casa

No último dia 16, quando a invasão parecia iminente, Israel aprovou a mobilização de 75 mil reservistas

Jerusalém – Os 57 mil reservistas israelenses mobilizados para invadir Gaza durante a operação “Pilar Defensivo” começam a voltar nesta quinta-feira para suas casas, enquanto a normalidade vai voltando às cidades atacadas pelas milícias palestinas, com críticas ao cessar-fogo vigente desde ontem.

No último dia 16, quando a invasão parecia iminente, Israel aprovou a mobilização de 75 mil reservistas, a maior em décadas, uma medida que se foi fazendo aos poucos até chegar a 57 mil quando foi estabelecida a trégua.

Assim como ontem, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reconheceu hoje o descontentamento em grande parte da população pela suspensão de uma operação apoiada por 84% do país e na qual morreram 164 palestinos, mais da metade deles civis, e seis israelenses, quatro deles civis.

Em um raio de 40 quilômetros ao redor de Gaza, onde haviam sido suspensas as aulas, a vida volta pouco a pouco à normalidade, apesar de as aulas ainda não terem sido retomadas, à espera de que se confirme o cessar-fogo.