Repressão de forças sírias deixam ao menos 70 mortos

A Comissão Geral da Revolução Síria diz que o número de mortos foi de 71, enquanto os Comitês de Coordenação Local afirmam que houve 77 mortes, e a rede Sham, 93

Cairo – Pelo menos 70 pessoas morreram nesta quinta-feira, a maioria em Damasco e em sua periferia, em ações de repressão das forças governamentais, denunciaram grupos da oposição ao presidente Bashar al Assad.

A Comissão Geral da Revolução Síria diz que o número de mortos foi de 71, enquanto os Comitês de Coordenação Local afirmam que houve 77 mortes, e a rede Sham, 93.

A maior parte das vítimas morreu na capital e em seus arredores, onde o regime intensificou suas operações após a morte – em um atentado cometido ontem contra um edifício do governo – do ministro da Defesa, Dawoud Rajiha, do vice-ministro deste departamento, Assef Shawkat, cunhado do presidente Bashar al Assad, e do assistente presidencial Hassan Turkmani.

A Comissão informou que houve pelo menos 30 mortos em Damasco e sua periferia, enquanto os Comitês e a rede Sham indicaram que o número de vítimas foi de 41.

Essas informações não puderam ser verificadas de forma independente devido às restrições impostas pelas autoridades sírias aos jornalistas.