Reino Unido está receptivo a lei que perdoaria Alan Turing

Homossexual, Turing sofreu um processo criminal em 1.952 e, como alternativa à prisão, aceitou tratamento com hormônios femininos

São Paulo – Segundo o The Guardian, o Governo Britânico sinalizou estar disposto a receber uma proposta de lei que perdoaria postumamente o matemático Alan Turing, considerado o pai dos algorítimos e da ciência da computação.

Turing tirou a própria vida em 1.954 na Inglaterra ao se envenenar com cianureto. Homossexual, Turing sofreu um processo criminal em 1.952 e, como alternativa à prisão, aceitou tratamento com hormônios femininos. Relações homoafetivas eram consideradas ilegais no Reino Unido na época.

Caso não haja alterações ou emendas, a legislação pode ser enviada para aprovação na Câmara dos Comuns, mas não há garantias de aprovação. A proposta pode indicar uma mudança de sentimento no Governo Britânico, que recusou a concessão de perdões a 49 mil homossexuais falecidos, que teriam sido condenados pelo Ato de Alteração da Lei Penal de 1855. Segundo o jornal britânico, o pedido de perdão incluía Oscar Wilde.

Além dos avanços na área da computação, Turing trabalhou para o serviço de espionagem britânico na Segunda Guerra Mundial, onde ajudou a desvendar códigos navais e foi considerado um herói.