Refinarias da França estão em greve

Duas refinarias do país que ainda estavam em funcionamento resolveram aderir à greve

Paris – As doze refinarias da França se encontram em greve nesta sexta-feira, em alguns casos temporariamente, depois que se uniram à paralisação as instalações de Gravenchon (norte) e de Reichstett (leste), informaram os sindicatos franceses.

A refinaria de Gravenchon entrou em greve na noite de quinta-feira, informou a direção do grupo americano Esso.

Em Reichstett, que pertence ao grupo suíço Petroplus, a greve começou ao meio-dia (7h00 de Brasília).

Os trabalhadores das duas refinarias exigem “respostas claras” sobre seu futuro, destacou a central sindical CFDT, a segunda maior da França.

As seis refinarias do grupo francês Total estão paralisadas desde terça-feira, em um protesto ligado ao conflito entre governo e sindicatos sobre a reforma do sistema de aposentadoria.

Na refinaria da Petroplus de Petit-Couronne, norte do país, a paralisação teve início na quinta-feira.

A instalação da Esso em Fos (sul) foi afetada pelo bloqueio dos terminais de petróleo do porto de Marselha e pela greve contra a reforma da aposentadoria.

As refinarias da holandesa LyondBasell (antiga Shell) e da britânica Ineos também estão em greve, segundo fontes sindicais.

Leia mais sobre a França

Siga as últimas notícias de Mundo no Twitter