Reconstruiremos Notre-Dame em cinco anos, diz Macron

Já foram arrecadados 600 milhões de euros para reconstruir a Catedral de Notre-Dame

Paris — O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta terça-feira, 16, que a catedral de Notre-Dame será reconstruída em cinco anos. A catedral foi parcialmente destruída em um incêndio na segunda-feira e, desde então, doações anunciadas por companhias francesas e milionárias para financiar sua reconstrução já ultrapassaram os 600 milhões de euros (R$ 2,6 bilhões).

“Reconstruiremos a catedral ainda mais bela, e quero que esteja acabado em cinco anos”, prometeu o chefe de Estado do Palácio do Eliseu.

Macron disse que voltará a tratar das questões políticas nos próximos dias. Ele deveria ter feito, na véspera, um pronunciamento sobre as medidas para enfrentar a crise dos “coletes amarelos”, mas que foi anulada devido ao incêndio.

“Amanhã, a política e seus tumultos voltarão a se impor, mas ainda não é o momento”, completou.

Durante seu discurso, Macron agradeceu aos bombeiros, policiais e pessoal de saúde, chamando-os de “heroicos”. Também insistiu na unidade do país, depois da tragédia: “vimos esta capacidade para nos mobilizarmos e de nos unirmos para vencer”.

“O incêndio de Notre-Dame nos lembra de que nossa história não para nunca e que sempre teremos provas para superar”, continuou.

Incêndio devastou parte da igreja

A catedral, joia arquitetônica medieval e um dos pontos turísticos mais conhecidos de Paris, foi gravemente desfigurada por um incêndio.

Mais de 400 bombeiros impediram o colapso total da igreja, que começou a ser construída no século 12 e sobreviveu a guerras, a revoluções, à ação do tempo e ao ingresso de 13 milhões de turistas por ano. Uma investigação preliminar indica que o fogo começou de maneira acidental na catedral mais visitada do mundo.

Diante das chamas, os parisienses se reuniram nas margens do Rio Sena e sobre pontes para assistir, incrédulos, às chamas consumirem a catedral. Parte deles entoou a Ave Maria. Muitos choravam, enquanto o fogo se espalhava pelo prédio, que começou a ser construído em 1163 e foi concluído em 1345.

Veja também

Repercussão do incêndio na Catedral de Notre-Dame

O Vaticano disse ter ficado “chocado e triste com a terrível notícia sobre o símbolo da cristandade na França e no mundo” e apresentou sua solidariedade ao povo francês e as orações aos bombeiros e a todos que estão fazendo o possível para lidar com a situação.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que as autoridades francesas “ajam com rapidez” para conter o incêndio na Catedral de Notre-Dame. “Que horrível assistir ao amplo incêndio na Catedral de Notre-Dame, em Paris. Talvez aviões com tanques de água podem ser usados para apagar o fogo. Deve-se agir rapidamente”, escreveu o republicano no Twitter. A direção da Segurança Civil disse que a possibilidade de usar aviões para apagar o fogo estava descartada, pois o peso da água destruiria todo o monumento.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que a Notre-Dame é um “símbolo da França” e de “nossa cultura europeia”. “Essas imagens horríveis doem. Nossos pensamentos estão com os amigos franceses”, disse no Twitter o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert.

Fogo controlado

O secretário de Estado do Interior Laurent Nuñez afirmou à imprensa que o fogo foi controlado na catedral de Notre-Dame por volta das 7h (2h do horário de Brasília) desta terça-feira, 16. No entanto, ainda não se sabe “como sua estrutura resistirá.”

“Foi descartado o perigo de fogo. A preocupação agora é saber como a estrutura foi afetada pelo incêndio gravíssimo dessa noite”, declarou Nuñez.

Perdas

Por sua vez, o ministro da Cultura Franck Riester disse que dois terços do telhado se perderam. “A princípio, o incêndio não é criminal. O fogo parece ter começado onde estavam os andaimes erguidos para restaurar a flecha que, acabou totalmente destruída”.

Riester ainda confirmou que os vitrais da catedral sofreram danos. No entanto, não deu informações sobre o estado dos grandes quadros que enfeitavam o interior da igreja. Devido a seu tamanho, eles não puderam ser retirados.(Com agências internacionais)