Rebeldes sírios assumem controle de fronteira com Golã

Passagem havia caído em junho de 2013 nas mãos dos rebeldes, mas depois voltou ao controle do exército sírio

Beirute - A facção síria da <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/al-qaeda">Al-Qaeda</a></strong> e outros grupos rebeldes tomaram nesta quarta-feira do <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/exercito">Exército</a></strong> sírio o controle da passagem de Quneitra, único ponto de contato entre <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/israel">Israel</a></strong> e <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/siria">Síria</a></strong>, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).</p>

A passagem, que liga a parte síria da colina de Golã e a ocupada por Israel desde 1967, caiu em junho de 2013 nas mãos dos rebeldes, mas depois voltou ao controle do exército sírio.

“A Frente Al-Nosra e outros grupos rebeldes assumiram o controle da passagem de Quneitra e os combates com o exército sírio continuam provocando estragos na região”, afirmou o diretor do OSDH Rami Abdel Rahman, que anunciou um balanço de 20 soldados e quatro insurgentes mortos.

Na quarta-feira, a Frente Al-Nosra e outros grupos rebeldes anunciaram o início da “batalha da libertação” de Quneitra. Posteriormente vários grupos insurgentes, como a Frente dos Revolucionários da Síria (não islamita), anunciaram a “libertação” da passagem.

Durante os combates, um soldado israelense foi ferido por tiros procedentes da Síria.

Em represália, o exército israelense bombardeou duas posições do exército sírio na colina de Golã, segundo um comunicado.

Os habitantes drusos da parte de Golã ocupada por Israel são os principais usuários da passagem, pela qual transitam para seguir chegar às escolas, ao trabalho ou para casar na Síria.

Israel está oficialmente em estado de guerra com a Síria. Desde 1967 ocupa 1.200 km2 da colina de Golã, que anexou. Quase 510 km2 permanecem sob controle sírio.