Rebeldes filipinos ameaçam decapitar refém alemão

Rebeldes islamitas filipinos do grupo Abu Sayyaf ameaçaram decapitar um dos dois turistas alemães que mantêm como reféns

Manila – Os rebeldes islamitas filipinos do grupo Abu Sayyaf ameaçaram nesta quinta-feira decapitar no próximo dia 17 de outubro um dos dois turistas alemães que mantêm como reféns, após anular seu ultimato anterior, segundo seu porta-voz Abu Rami, em declarações por telefone ao jornal local “The Star”.

O grupo, que os Estados Unidos e as Filipinas vinculam à Al Qaeda, anunciou a princípio que decapitaria ambos os alemães antes do dia 10 de outubro se a Alemanha não retirasse o apoio à ofensiva dos EUA contra o Estado Islâmico no Iraque e Síria e se não recebesse US$ 5,6 milhões.

Rami explicou que a primeira ameaça foi “um aviso” e que esta última é séria: “Não é nenhuma piada, porque nós não brincamos com a sharia (lei islâmica).

Segundo o rebelde, o Governo da Alemanha não entrou em contato com eles para negociar a libertação dos reféns, o que considerou como “um insulto”.

O novo ultimato do Abu Sayyaf veio depois que o Governo das Filipinas, que assegurou que não negocia com terroristas, enviou na terça-feira mais de 1.000 soldados para a ilha de Sulu, onde se acredita-se que os rebeldes estejam retendo os alemães.