Rebeldes culpam regime por falta de progressos em negociações

O chefe da delegação rebelde em Astana, Mohammad Allouche,, culpou a "intransigência do Irã e do regime"

O regime sírio e o Irã são responsáveis pela falta de “progressos tangíveis” nas negociações sobre o conflito na Síria, declarou à AFP Mohammad Allouche, chefe da delegação rebelde em Astana.

“Até o momento, não houve nenhum progresso tangível nas negociações em razão da intransigência do Irã e do regime” sírio, acusou Allouche ao final de dois dias de negociações de paz em Astana, no Cazaquistão.

Em compensação, elogiou o fato de ter a chance de falar diretamente com os russos.

“Confirmamos a vontade dos rebeldes de por fim ao derramamento de sangue na Síria e seus esforços a fim de encontrar uma solução”, explicou.

Os rebeldes também submeteram um documento que será examinado pelos russos e a ONU sobre a colocação em andamento de mecanismos para reforçar o cessar-fogo, segundo a mesma fonte.

No entanto, pediu à Rússia que se comprometa mais na solução do conflito sírio.

“Por ora, são só promessas. Esperamos que o papel da Rússia se torne realmente positivo”, acrescentou.