Rajoy não permitirá questionamento sobre unidade da Espanha

O premiê reafirmou neste sábado sua oposição ao projeto apresentado durante a semana pelo presidente nacionalista da Catalunha

Barcelona – O primeiro-ministro espanhol, o conservador Mariano Rajoy, reafirmou neste sábado em Barcelona sua oposição ao projeto apresentado durante a semana pelo presidente nacionalista da Catalunha, Artur Mas, para declarar a independência da região em dois anos.

“Que uma coisa fique claro: eu não vou permitir o questionamento da unidade da Espanha, nem que ninguém tenha que escolher entre ser catalão e espanhol. Isto não vai acontecer”, afirmou de maneira categórica em um evento público de seu partido na capital da Catalunha.

Esta é a primeira visita do chefe de Governo à Catalunha desde a votação simbólica sobre a independência de 9 de novembro, na qual 1,8 milhão de pessoas (80% dos participantes) se mostraram favoráveis à secessão da região de 7,5 milhões de habitantes.

“Se o que pretendia era apresentar uma Catalunha independentista, fracassou em tudo”, disse Rajoy, que não visitava a região desde 30 de maio.

“Desde que sou presidente de governo, estive 16 vezes na Catalunha. Desde que presido o Partido Popular já são 117 vezes. Conheço a Catalunha, sei o que acontece, me importa, me preocupo e me ocupo dos problemas dos catalães”, afirmou, em uma resposta às críticas sobre um suposto imobilismo ante o aumento do mal-estar na região nos últimos anos.

Desde o fim de 2012, Mas tenta celebrar um referendo de autodeterminação, bloqueado por Madri, o que levou o líder nacionalista a propor na terça-feira eleições regionais nas quais os partidários da separação se apresentariam em uma lista conjunta.

No caso de obter maioria absoluta, o governo regional deveria negociar com a Espanha e a Europa as condições da separação e construiria as estruturas de Estado necessárias para declarar a independência ao fim de 2016.

“A última coisa que a Catalunha necessita é uma aventura que traga mais instabilidade e espante investidores e empreendedores”, disse Rajoy, que acusou Mas de não governar a crise econômica e os problemas sociais da região, cujo Executivo não consegue acesso aos mercados financeiros e tem problemas para cumprir pagamentos.

Diante da situação, Rajoy destacou que seu governo ajudou financeiramente o governo catalão, com o empréstimo de dinheiro com um fundo de liquidez e executando algumas de suas dívidas com os fornecedores.