Queda em setor privado da zona do euro sugere recessão no quarto tri

Gerentes de compras estimaram que a economia da zona do euro recuará entre 0,5% e 0,6% no período, segundo o Markit

Londres – O setor privado da zona do euro contraiu-se pelo terceiro mês seguido em novembro, com uma crise de dívida levando a zona do euro à beira da recessão.

Pesquisas com gerentes de compras estimaram que a economia da zona do euro recuará entre 0,5 e 0,6 por cento no quarto trimestre, após um crescimento de 0,2 por cento no terceiro trimestre, informaram dados compilados pela Markit, sugerindo que a situação provavelmente não melhorará em breve.

Embora o vasto setor de serviços do bloco tenha se contraído menos que o esperado neste mês, o segmento manufatureiro, que em grande parte puxou a recuperação, caiu mais que o estimado, uma vez que a produção caiu para o seu menor nível desde meados de 2009.

O índice PMI, frequentemente utilizado como termômetro do crescimento, marcou leitura de 47,2 em novembro, ante a mínima em 28 meses atingida em outubro -46,5. É o terceiro mês seguido em que o indicador fica abaixo da linha de 50, que separa crescimento de contração.

O índice PMI de serviços da zona do euro, que acompanha a atividade empresarial em milhares de empresas dos 17 países que formam o bloco monetário, subiu para 47,8 neste mês, ante 46,4 em outubro, superando expectativas de uma leitura de 46,5. Também é o terceiro mês consecutivo em que o índice se encontra abaixo de 50.

O índice de expectativas de negócios caiu para 52,5 neste mês, contra 52,7 em outubro, e sua mínima desde março de 2009, que não está distante após o bloco ter passado por seu ponto mais obscuro na última recessão.

“Esse indicador continuou recuando, o que não é um bom sinalizador para o setor e sugere que o crescimento do setor de serviços vai continuar enfraquecendo”, disse Williamson.

O índice PMI para o setor manufatureiro da zona do euro caiu para 46,4 em novembro, ante 47,1 no mês passado, menor leitura desde julho de 2009 e abaixo da expectativa de 46,5.

O índice de produção, que resulta de uma pesquisa maior que combina os setores manufatureiro e de serviço, caiu para 45,8, ante 46,6 em outubro.