Queda da popularidade de Obama dá força aos republicanos

A popularidade de Barack Obama segue caindo, o que reforça o poder dos republicanos para as eleições, segundo pesquisa

Nova York – A popularidade do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, segue caindo e já chega aos níveis de seu antecessor George W. Bush em 2006, o que reforça o poder dos republicanos para as eleições de novembro, segundo uma pesquisa do jornal “The New York Times” e da emissora “CBS”.

A menos de dois meses das eleições legislativas, o nível de aprovação do presidente Obama está agora em 40%, enquanto 50% dos eleitores rejeitam seu trabalho à frente da Casa Branca, segundo a pesquisa publicada nesta quarta-feira.

Tradicionalmente, a popularidade do líder da Casa Branca influencia de maneira importante no futuro de seu partido nas legislativas, que neste caso tenta manter o controle do Senado e aspira arrebatar a Câmara dos Representantes dos republicanos.

Segundo os resultados da mesma pesquisa, os republicanos estão ganhando terreno com relação aos democratas perto da reunião eleitoral de novembro, em meio à frustração dos cidadãos com o presidente por sua ação em temas chave como a política externa e a luta contra o terrorismo.

Entre os indagados, 45% votariam nos republicanos se as eleições fossem hoje e 39% nos democratas, e quando a pergunta foi feita aos eleitores independentes, as margens de diferença são ainda mais amplas, com 41% para os republicanos e 31% para os democratas.

Somente 34% dos eleitores aprovam a gestão de Obama em política externa frente a 58% que desaprovam, enquanto em matéria de terrorismo, os níveis de aprovação são inclusive piores que os do ex-presidente Bush antes do pleito legislativo de novembro de 2006.

A pesquisa, realizada entre 12 e 15 de setembro e com uma margem de erro de 3 pontos percentuais, revela também que a popularidade de Obama é muito mais baixa do que a de Bill Clinton e Ronald Reagan, com níveis de aprovação superiores a 60%, com este mesmo tempo de mandato.