Putin é recebido na Sérvia como um “superstar”

"Bem-vindo, querido presidente Putin, querido amigo", dizem os cartazes instalados em estradas

O presidente russo, Vladimir Putin, é recebido nesta quinta-feira na Sérvia como um “superstar”, onde bares levam seu nome, camisetas e xícaras ostentam sua silhueta e paredes são pintadas com seu rosto.

“Bem-vindo, querido presidente Putin, querido amigo”, dizem os cartazes instalados na estrada que liga o aeroporto ao palácio presidencial sérvio.

As autoridades sérvias também enviaram três caças Mig-29 para escoltar o avião do presidente russo quando este entrar no espaço aéreo do país.

Espera-se que dezenas de milhares de sérvios participem de uma passeata de boas-vindas, marcada para sair do centro de Belgrado às 15h00 (12h00 de Brasília), pouco antes da coletiva de imprensa conjunta de Putin e seu colega sérvio Aleksandar Vucic, que recebeu seu convidado no aeroporto.

A passeata terminará na Igreja de São Sava, um dos maiores locais de culto ortodoxo do mundo, cuja reforma foi financiada em parte pelo gigante russo Gazprom e onde Putin deverá ser aclamado.

Embora a Sérvia aspire a entrar na União Europeia, recusou-se a apoiar as sanções internacionais adotadas contra a Rússia após a anexação da Crimeia.

Além das relações históricas com o “grande irmão ortodoxo eslavo”, o entusiasmo na Sérvia também é explicado pelo apoio de Moscou à questão do Kosovo, cuja independência é rejeitada por Belgrado.

Graças ao veto da Rússia, Kosovo, uma antiga província sérvia da qual Belgrado perdeu o controle em 1999 após os bombardeios da OTAN, não pode se juntar à ONU.

Consciente da popularidade de Putin, o presidente Aleksandar Vucic assegura ser muito próximo do líder russo.

Nos últimos anos, a Rússia sofreu algumas derrotas diplomáticas nos Bálcãs, como em 2017, quando não conseguiu impedir Montenegro de entrar na OTAN, algo que a Macedônia tenta atualmente.

Se a Macedônia conseguir, todos os países que fazem fronteira com a Sérvia estarão na esfera da OTAN, exceto a Bósnia, cujos representantes sérvios no governo o impedem.

Segundo Maxime Samorukov, analista no Centro Carnegie, a visita de Putin é especialmente importante para a Sérvia. “Os Bálcãs são de pouca importância” para Moscou e não são “uma prioridade da política externa russa”.

De acordo com um estudo de 2017 do governo sérvio, 24% dos habitantes acreditam que a Rússia é o maior país doador, quando, na verdade, 75% das doações vêm da União Europeia (UE) ou de países-membros do bloco

No que diz respeito aos investimentos diretos e trocas comerciais, a proporção é similar em favor da Europa.