Putin promete punir culpados pelo incêndio fatal na Rússia

Incêndio ocorrido no shopping localizado na cidade de Kemerovo matou 41 crianças, segundo a agência de notícias Interfax

Kemerovo, Rússia – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, visitou nesta terça-feira um shopping na região da Sibéria atingido no fim de semana por um incêndio que matou 64 pessoas, e prometeu a moradores indignados que os responsáveis pelo que classificou como negligência criminosa serão punidos severamente.

O incêndio ocorrido no shopping localizado na cidade de Kemerovo matou 41 crianças, segundo a agência de notícias Interfax, e a forma trágica como o local lidou com o incidente provocou revolta e concentrou a atenção na corrupção e nos baixos padrões de segurança contra incêndios no país.

Reeleito neste mês, Putin depositou flores em um memorial improvisado para as vítimas na região produtora de carvão, situada cerca de 3.600 quilômetros a leste de Moscou, antes de comandar uma reunião com autoridades de alto escalão.

“O que está acontecendo aqui? Isto não é uma guerra, não é uma explosão inesperada de metano em uma mina de carvão. As pessoas vieram relaxar, crianças. Estamos falando de vidas e perdendo muitas pessoas”, disse Putin, visivelmente irritado, na reunião.

“Por quê? Por causa de uma negligência criminosa, por causa de desleixo. Como isto pôde acontecer?”, acrescentou. “A primeira emoção ao ouvir sobre o número de mortos e de crianças mortas não é gritar, mas chorar. E quando você ouve o que foi dito aqui, falando honestamente, outras emoções afloram”.

Investigadores disseram que saídas de incêndio foram bloqueadas ilegalmente, que o sistema de comunicação ao público não foi ligado, que o alarme de incêndio estava quebrado e que crianças ficaram trancadas dentro de cinemas.

Muitos funcionários responsáveis pela segurança pública fugiram quando as chamas irromperam, disseram investigadores.

O fogo se alastrou pelos andares superiores do shopping, que abrigava um complexo de cinemas e uma área de lazer infantil, na tarde de domingo.

Centenas de manifestantes indignados, muitos deles aos gritos, se reuniram no centro de Kemerovo na manhã desta terça-feira. O prefeito, Ilya Seredyuk, tentou falar, mas suas palavras foram abafadas por brados pedindo sua renúncia.

Muitos locais não acreditam no saldo oficial de 64 mortos e suspeitam que centenas de pessoas morreram no fogo e que um acobertamento está em curso, algo que Putin negou categoricamente.