Putin diz que não enviará tropas para Ucrânia por enquanto

Em encontro com jornalistas, Vladimir Putin disse que uso das forças armadas será apenas em caso extremo, mas que, nesse sentido, será legítimo

Moscou – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira que, por enquanto, não há necessidade de enviar tropas russas à Ucrânia, embora tenha reconhecido que essa ‘possibilidade existe’ em caso de uma ‘situação extrema’.

‘Qual pode ser o motivo para o uso das forças armadas? Certamente, um caso extremo’, declarou o chefe do Kremlin durante um encontro com um grupo de jornalistas divulgado pela televisão oficial, no qual defendeu a legitimidade desse hipotético passo.

Neste aspecto, Putin acrescentou que a Rússia ‘tem um pedido (nesse sentido) do presidente legítimo da Ucrânia’, em alusão ao presidente deposto Viktor Yanukovich, que se encontra refugiado em território russo.

‘Inclusive, se tomarmos essa decisão, a decisão de empregar as forças armadas, será legítima’, ressaltou o presidente russo.

Putin, no entanto, se mostrou convencido de que os militares, russos e ucranianos, ‘não estarão em lados diferentes’ das barricadas, mas do mesmo.

Segundo Putin, muitos chefes militares russos e ucranianos ‘se conhecem pessoalmente’.