Putin condena “assassinatos desumanos” em Paris

"A Rússia está disposta a oferecer qualquer ajuda nas investigações desses crimes terroristas", disse Dmitri Peskov, porta-voz do presidente russo

Moscou – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, condenou neste sábado “os assassinatos desumanos” na série de atentados terroristas ocorridos na noite de ontem em Paris, que deixaram pelo menos 120 mortos e 200 feridos.

“A Rússia condena energicamente esses assassinatos desumanos e está disposta a oferecer qualquer ajuda nas investigações desses crimes terroristas”, disse Dmitri Peskov, porta-voz do presidente russo.

O chefe do Kremlin, segundo Peskov, expressou suas condolências e solidariedade ao presidente francês, François Hollande, e a todo o povo da França.

“Estamos com todos os parisienses neste momento. Expressamos nossas profundas condolências às famílias de todos os mortos”, disse, por sua vez, a porta-voz oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

Dezenas de cidadãos de Moscou foram até a embaixada da França para depositar flores e velas em memória das vítimas dos atentados e em solidariedade com o povo francês.

Pelo menos 120 pessoas morreram e 200 ficaram feridas, 80 delas em estado grave, em uma série de ataques ontem à noite em Paris, com três explosões nas proximidades do Stade de France, onde era disputado o amistoso entre França e Alemanha; a tomada de reféns em uma casa de shows e disparos contra vários bares e restaurantes. EFE