Putin apoia Polícia da Chechênia após perda de 10 agentes

Após acusar o Ocidente, Putin lembrou que durante as duas guerras da Chechênia muitos países criticaram Moscou

Moscou – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, apoiou nesta quinta-feira as autoridades e as forças da ordem da Chechênia, que perderam dez agentes no transcurso de uma operação antiterrorista, que ainda continua nessa república do Cáucaso Norte.

“Tenho certeza de que as forças da ordem locais vão prevalecer. Estão trabalhando para liquidar a enésima reaparição dos terroristas”, disse Putin em seu discurso anual sobre o estado da nação ao Parlamento.

Após acusar o Ocidente, com os Estados Unidos à frente, de perseguir historicamente o enfraquecimento da Rússia, Putin lembrou que durante as duas guerras da Chechênia (1994-1996 e 1999-2001) muitos países criticaram Moscou.

“Lembramo-nos bem de quem e como apoiou então abertamente o separatismo e inclusive o terror, chamaram de rebeldes os assassinos que tinham as mãos ensanguentadas e os receberam ao mais alto nível”, disse Putin.

“O apoio informativo, político, financeiro do Ocidente ao separatismo checheno não deixou dúvidas de que nos teriam deixado ir pelo caminho da desintegração iugoslava, com todas as nefastas consequências que teria tido para os povos da Rússia”, asseverou Putin.

Dez policiais morreram e 20 ficaram feridos hoje no centro de Grozni, capital da Chechênia, nos confrontos entre as forças da ordem e um grupo de guerrilheiros que se prolongam desde a madrugada.