PT usará Congresso para aumentar filiações

Partido tenta dobrar seus 1,5 milhão de filiados no Brasil para combater a oposição nas urnas

Brasília – O PT realiza neste final de semana o 4o Congresso Nacional e deve lançar uma campanha nacional para dobrar o número de filiados, além de indicar o PMDB como um dos principais aliados nas eleições municipais do ano que vem, disse nesta quinta-feira o presidente da legenda, Rui Falcão.

“Nosso partido ganhou três eleições presidenciais consecutivas, estamos no terceiro governo petista e é natural, portanto, que a gente queira acolher toda essa simpatia ao PT”, disse Falcão a jornalistas.

Segundo ele, o PT tem 1,5 milhão de filiados “o que é pouco”.

O Congresso também servirá para determinar a tática eleitoral do PT para 2012 e a política de alianças para concorrer às prefeituras.

“Nas cidades em que os nossos aliados estiverem governando e tiverem candidaturas mais competitivas… o PT vai estar apoiando esses candidatos e daí o PMDB é um dos principais partidos nessas alianças”, explicou o presidente petista.

Segundo ele, o texto da resolução a ser proposta cita PPS, DEM e PSDB como adversários nas próximas eleições, mas não há menção em relação ao PSD, que está sendo criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, uma das principais lideranças do DEM até decidir criar uma nova legenda.

Durante o Congresso, o partido aprovará uma resolução nacional e a reforma do seu estatuto, que segundo Falcão precisa se adaptar “aos novos tempos” e à nova situação do país.

As mudanças serão debatidas numa reunião da comissão executiva do partido nesta quinta e apresentadas para debate interno a partir de sexta-feira aos delegados.

O ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff participam da abertura do Congresso na sexta.

Os petistas também farão uma análise da conjuntura econômica mundial e voltarão a pedir a queda dos juros no Brasil.


Os petistas devem apresentar ainda uma moção de apoio a Dirceu, que na avaliação do partido foi atacado injustamente por uma matéria publicada na revista Veja nesta semana.

“Se ela for apresentada certamente será aprovada”, disse Falcão sobre a moção.

A revista divulgou imagens de câmeras de um hotel em Brasília onde o ex-ministro receberia ministros do governo Dilma e membros do PT e de outros partidos. Segundo Dirceu, as imagens foram obtidas de forma ilegal.

Falcão condenou a matéria, mas afirmou que a revista não deve ser citada nominalmente nos textos que serão aprovados pelo Congresso. Segundo o dirigente petista, uma parte do texto que deve ser aprovada criticará práticas jornalísticas que o partido considera ruim.