PT se reúne m SP para definir se anula prévias no Recife

A expectativa é que a direção da sigla anule essas prévias, em prol das alianças com o PSB do governador Eduardo Campos

São Paulo – Reunião da executiva nacional do PT, nesta sexta em São Paulo, discute a validação do resultado das prévias que o partido realizou no domingo (20) no Recife (PE). A expectativa é que a direção da sigla anule essas prévias, em prol das alianças com o PSB do governador Eduardo Campo. Além do imbróglio na capital pernambucana, a executiva petista deve discutir também a situação dos municípios de Mossoró e Duque de Caxias, cidades que também estão no leque de negociações do partido com o PSB. A boa relação com o PSB nessas localidades é fundamental para garantir o apoio dos pessebistas ao pré-candidato petista em São Paulo, Fernando Haddad.

Para que o PSB apoie Haddad em São Paulo, caciques do PT, incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, trabalham no sentido de garantir a candidatura do deputado petista Maurício Rands no Recife, que tem a preferência de Eduardo Campos. Contudo, Rands perdeu para o atual prefeito João da Costa (PT) a disputa interna realizada no domingo para definir a cabeça de chapa da sigla à prefeitura do Recife. O imbróglio envolve acusações de fraude e o resultado da prévia não foi reconhecido pelo PT. Nesta quinta, a expectativa é que a cúpula do partido, reunida em São Paulo, dê a palavra final, anulando a prévia e indicando Rands para a disputa municipal.

Na chegada à reunião do PT em São Paulo, o deputado Maurício Rands disse acredita que o resultado favorável ao atual prefeito João da Costa deve ser anulado. Rands argumentou que a sua campanha na disputa interna respeitou o regulamento do partido e classificou como “inaceitável” o fato de João da Costa ter entrado com uma ação judicial para garantir a inclusão de militantes considerados inaptos para votar. “Um militante não pode violar a regra de ouro da democracia interna”, disse.

Já o prefeito João da Costa defendeu que a executiva nacional respeite a decisão da maioria dos filiados no Recife. “A novela acabou domingo no sentido que a maioria dos filiados do PT tomou uma decisão. Nosso principal argumento é a votação da maioria dos filiados”, afirmou.

Caso o partido não chegue nesta quinta a uma conclusão sobre o imbróglio, que é considerado por parte do partido uma disputa fraudulenta, uma nova reunião da executiva nacional deverá acontecer na próxima segunda-feira.