“Psicopata canadense” aceitará extradição

O ex-ator pornô, de 29 anos, suspeito de ter matado e esquartejado um estudante chinês em Montreal "está em prisão provisória e será colocado em uma cela normal"

Berlim – O psicopata canadense Luka Rocco Magnotta, suspeito de ter assassinado um estudante chinês e detido na segunda-feira em Berlim, não manifestará oposição à extradição para o Canadá, anunciou o porta-voz da justiça da capital alemã, Martin Steltner.

“Foi apresentado ao juiz, que confirmou a detenção. Disse que não vai se opor à extradição”, declarou o porta-voz, antes de acrescentar que isto tornará o procedimento “mais rápido e fácil”.

O ex-ator pornô de 29 anos, suspeito de ter matado e esquartejado um estudante chinês em Montreal, “está em prisão provisória e será colocado em uma cela normal”, segundo Steltner.

“Veremos como se desenvolve o processo de extradição. Ele pode mudar de opinião a respeito da extradição”, explicou.

A análise da identidade do suspeito – detido em Berlim depois de uma fuga de dez dias entre Canadá, França e Alemanha – foi concluída. Ele foi identificado pelas impressões digitais.

A justiça alemã solicitou ao Canadá os documentos para a extradição.

Luka Rocco Magnotta, também conhecido pelos nomes de Eric Clinton Newman e Vladimir Romanov, é acusado de assassinato premeditado e de violação de cadáver. Supostamente ele cometeu o crime em 24 de maio, antes de viajar para a França dois dias depois.

Ele foi apelidado de “psicopata canadense” pela imprensa de seu país pelo vídeo divulgado na internet que mostra o momento em que ele mata a vítima, amarrada, com um picador de gelo, assim como o desmembramento do cadáver, ao som de uma canção do filme “Psicopata Americano”.

Pedaços do corpo foram enviados por correio a partidos políticos canadenses.

A vítima era um estudante chinês, Jun Lin, de 32 anos, procedente de Wuhan, na província de Hubei (centro da China), com o qual, segundo a polícia canadense, Magnotta parecia ter mantido uma relação sexual.