Protestos pró-palestinos ocorrem em diversas cidades do Irã

Manifestações pró-palestinos foram organizadas em mais de 700 cidades iranianas, na última sexta-feira do Ramadã

Teerã – As tradicionais manifestações organizadas no Irã na última sexta-feira do Ramadã tomaram neste ano uma magnitude particular, depois da morte de mais de 800 palestinos em 18 dias de ofensiva israelense na Faixa de Gaza, informou a TV estatal.

Manifestações pró-palestinos foram organizadas em mais de 700 cidades iranianas.

Na capital, vários manifestantes que marcharam aos gritos de “Morte a Israel” e “Morte aos Estados Unidos” confluíram para a Universidade de Teerã, no centro da capital, segundo imagens da tv.

O “Dia de Quds”, nome árabe para Jerusalém, é organizado todos os anos na última sexta do Ramadã no Irã em solidariedade para com os palestinos.

“O mundo islâmico deve declarar este dia, em uníssono, como o dia da ira, do ódio, da unidade e da resistência frente a Israel”, declarou o presidente do Irã, Hassan Rohani, que participou das passeatas.

“O mundo exige o fim do bloqueio de Gaza, a abertura da passagem de Rafah e o fim dos ataques contra Gaza para que as pessoas possam viver normalmente”, acrescentou.

O presidente também denunciou quem permanece em silêncio frente aos crimes do regime sionista.

O Irã, que não reconhece a existência de Israel, apoia grupos islamitas em sua luta contra o Estado hebreu.

Teerã é acusado de apoiar militar e financeiramente o movimento islamita palestino Hamas e a Jihad Islâmica.