Protestos em Hong Kong se intensificam com prisão de ativistas

Manifestações têm se alastrado e ficado mais violentas, com bombas de coquetel molotov e danos aos prédios públicos

Os protestos em Hong Kong têm se alastrado e ficado mais violentos, com manifestantes jogando bombas de coquetel molotov e danificando prédios públicos.

Participantes reuniram-se na região que abriga o Conselho Legislativo do território e outros prédios do governo entre a noite de sábado e a manhã deste domingo, 01. Eles quebraram janelas e atearam fogo em ruas próximas.

A polícia afirma que manifestantes usando máscaras e camisetas pretas invadiram os escritórios de estações de metrô na região de Kowloon, que é popular entre turistas.

Segundo as forças policiais, eles teriam danificado máquinas de venda de bilhetes e brigado com passageiros.

Policiais reprimiram os manifestantes com cacetetes e sprays de pimenta e prenderam pelo menos 40.

Veja também

Três estações de metrô ficaram fechadas na manhã de hoje.

Um representante do governo de Hong Kong informou que 31 pessoas ficaram feridas em confrontos com a polícia.

A frustração dos manifestantes contra o governo e a polícia se intensificou com a detenção de ativistas e legisladores pró-democracia na última sexta-feira, 30.

Os protestos continuam e manifestantes estavam bloqueando rodovias de acesso ao aeroporto do território.