Protestos contra reforma da previdência em Taiwan terminam com 43 feridos

Militares protestaram contra o corte nas pensões proposto pelo governo e 32 pessoas foram detidas

Taipé – Pelo menos 32 policiais e 11 jornalistas ficaram feridos nesta quarta-feira e outras 32 pessoas foram detidas durante violentas manifestações de militares aposentados contra cortes em suas pensões em uma reforma planejada pelo governo, informou a Polícia de Taipé.

Os chamados “800 guerreiros” e outros grupos contra a reforma de pensões militares cercaram hoje o Parlamento e protagonizaram confrontos contra os 1.260 policiais desdobrados para manter a ordem, segundo um comunicado da polícia.

Os enfrentamentos aconteceram enquanto o Comitê das Relações Exteriores e de Defesa Nacional realizava uma audiência pública sobre a proposta de reforma na sede do Parlamento.

Os manifestantes tentaram ultrapassar as barreiras policiais e pular muros para entrar no local e atiraram garrafas, cadeiras de plástico e bombas de fumaça.

Os “800 guerreiros” protestam contra uma proposta de reforma do governo que pretende reduzir as pensões militares e o atual interesse preferencial de 18% para as economias dos militares aposentados.

Em Taiwan, o governo justificou seus planos de reforma de pensões diante do perigo de quebra do fundo de previdência e também devido ao fato de existir uma grande lacuna entre as aposentadorias de militares e funcionários públicos e os da população em geral.