Protestantes e polícia se enfrentam em embaixada dos EUA

Um manifestante foi morto e mais de 250 pessoas já foram feridas nos protestos dessa semana

Cairo - Confrontos perto da Embaixada dos Estados Unidos no centro de Cairo entre a polícia e egípcios furiosos sobre um filme que denigre o profeta Maomé entraram em seu quarto dia na manhã deste sábado, deixando um manifestante morto e dezenas de feridos.</p>

Os confrontos passaram a ocorrer em uma rua principal, as margens do rio Nilo, depois que as autoridades fecharam a rua que leva para a embaixada norte-americana. Os manifestantes, muitos dos quais estão decididos a invadir a embaixada, agora estão buscando rotas alternativas para o lugar.

Um manifestante de 35 anos morreu no fim da sexta-feira, três dias após os manifestantes terem subido no muro da embaixada e rasgarem uma bandeira dos Estados Unidos.

Centenas de manifestantes se reuniram em ruas próximas até tarde da noite, atirando pedras na polícia e bombas de gasolina enquanto eram expulsos da proximidade da embaixada.

A agência de notícias estatal disse que 27 pessoas ficaram feridas na sexta-feira. Considerado as informações dadas nos últimos dias, isso sugere que mais de 250 pessoas foram feridas durante os protestos nesta semana.

O Presidente do Egito, Mohamed Mursi, um islamista e o primeiro líder eleito livremente, tem de encontrar um equilíbrio delicado, cumprindo a promessa de proteger a embaixada, mas também oferecendo uma linha robusta contra o filme para satisfazer os seus aliados islâmicos.

No Sinai, militantes atacaram uma base internacional de observação perto da fronteira de Israel e Gaza, disse uma testemunha e uma fonte de segurança. Dois soldados colombianos foram feridos, disse um representante da força de observação.