Promotora denuncia abusos de 100 crianças em escola no Equador

O Ministério da Educação do Equador investiga se houve negligência dos responsáveis pela escola

Quito – Pelo menos cem crianças sofreram abusos sexuais e quatro foram estupradas  por dois professores de um colégio da cidade de Guayaquil, no Equador, de acordo com a promotora que denunciou formalmente o caso.

A promotora Patricia Morejón afirmou que o Ministério da Educação abriu uma investigação e que, após submeter quatro menores a exames médicos e psicológicos, os resultados apontaram que tinham sido estuprados.

“Os fatos são vergonhosos, os fatos são terríveis para as crianças, para qualquer pessoa. Houve abuso sexual”, disse Morejón à rede de televisão “Ecuavisa” em uma entrevista na qual confirmou que o número de vítimas é de mais de cem.

Na tarde de 6 de outubro, o promotor César Peña e a polícia especializada em casos envolvendo menores (Dinapen) foram à escola após receberem denúncias de pais sobre os crimes sexuais.

Os policiais entraram à força no local, já que houve resistência na liberação do acesso. Um dos supostos autores dos abusos foi detido, e o segundo conseguiu fugir.

Os suspeitos teriam cometido os abusos em horários de recreio nos banheiros do colégio e teriam dado sedativos às vítimas para encobrir os crimes, de acordo com as denúncias dos pais. Além disso, eles teriam feito vídeos e fotos dos menores.

O Ministério da Educação investiga a possibilidade de negligência por parte dos responsáveis pela escola ao não reportarem os fatos.

db/id