Principais nomes no referendo sobre saída britânica da UE

A ministra do Interior Theresa May, que alguns imaginavam que faria campanha pelo "Brexit", finalmente ficou ao lado de David Cameron

O primeiro-ministro David Cameron, a favor do “Sim” à permanência, e o prefeito de Londres, Boris Johnson, a favor do “Não”, estarão entre os protagonistas da campanha do referendo de 23 de junho que deve decidir se o Reino Unido continua na União Europeia.

A seguir as principais personalidades de cada campo.

A favor do “Sim”

– O primeiro-ministro David Cameron: “Farei campanha com todo o meu coração e com toda a minha alma para convencer o povo britânico a permanecer na União Europeia reformada”, prometeu o chefe de Governo, que pode ter o espaço na história definido pelo referendo.

– A ministra do Interior Theresa May, que alguns imaginavam que faria campanha pelo “Brexit”, finalmente ficou ao lado de David Cameron: “A UE não é perfeita e este acordo deve ser parte de um processo contínuo de mudança e reforma, mas o interesse nacional e é continuar sendo membro da UE”, declarou.

– Apesar do Partido Conservador britânico ser apontado em sua maioria como eurocético, conta em seus quadros com alguns pró-europeus declarados, entre eles Damian Green, presidente do grupo Conservative European Mainstream, e Anna Soubry, secretária de Estado responsável pelas PYME.

– Jeremy Corbyn, líder dos trabalhistas britânicos, o principal partido da oposição: “Faremos campanha para que o Reino Unido permaneça na Europa no próximo referendo. A UE traz investimentos, emprego e proteção aos trabalhadores e aos consumidores britânicos”.

– Nicola Sturgeon, primeira-ministra escocesa e líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP), reiterou no sábado o apoio à permanência na UE. No caso de um “Brexit”, poderia solicitar um novo referendo sobre a independência da Escócia.

– A diretora geral da Confederação da Indústria Britânica (CBI, na sigla em inglês), Carolyn Fairbairn, considerou que as reformas aprovadas pela UE “protegem o espaço e influência do Reino Unido dentro do mercado único e dão uma nova ênfase à competitividade da UE, o que ajudará as empresas britânicas a criar empregos e o crescimento econômico nos próximos anos”. Vários presidentes de empresas se posicionaram a favor da permanência na UE, como Bob Dudley, diretor geral da BP.

A favor do “Não”

– Boris Johnson, o carismático prefeito de Londres e candidato a suceder David Cameron, se uniu oficialmente ao lado do “Não” no domingo, quando afirmou que esta é uma “oportunidade única” para obter uma “verdadeira mudança”.

– Cinco ministros conservadores se uniram no sábado à campanha pela saída da UE – Michael Gove (Justiça), Iain Duncan Smith (Trabalho), John Whittingdale (Esportes e Mídia), Chris Grayling (representante do governo no Parlamento), Theresa Villiers (Irlanda do Norte), e uma Secretária de Estado.

– O candidato conservador à prefeitura de Londres, o eurocético e ecologista Zac Goldsmith.

– O líder do partido anti-imigração Ukip, Nigel Farage, que sempre defendeu a saída do Reino Unido do bloco europeu.

– “Vote Leave”, uma campanha que tem o apoio dos “Conservatives for Britain”, dos trabalhistas eurocéticos, da única ecologista na Câmara dos Lordes e do único deputado do Ukip, Douglas Carswell.

– “Leave.EU” foi a primeira campanha pró “Brexit” lançada no Reino Unido. Conta com o apoio de Nigel Farage e anunciou há alguns dias que se uniu ao grupo Grassroots Out (GO), que aspira ser escolhido pela Comissão Eleitoral para coordenar oficialmente a campanha e receber assim sete milhões de libras de subvenções.