Monumentos de Paris vão fechar por medo do protesto dos “coletes amarelos”

ATorre Eiffel, a Ópera de Paris e o Grand Palais são alguns dos monumentos fechados por conta dos protestos dos "coletes amarelos"

Paris – Os principais monumentos de Paris, uma das cidades mais visitadas por turistas do mundo, serão fechados neste sábado como medida de segurança devido aos temores de uma explosão de violência durante os protestos dos “coletes amarelos” contra o aumento de impostos sobre os combustíveis.

Se ontem já foi anunciado que a Torre Eiffel, a Ópera de Paris e o Grand Palais iriam impedir o acesso a visitantes, nesta sexta-feira o Centro de Monumentos Nacionais (CMN) informou que locais tão emblemáticos como o Arco do Triunfo e as torres da catedral de Notre Dame farão o mesmo.

Em um breve comunicado, o CMN afirmou que sete dos locais sob sua administração na capital fecharão as portas.

Entre os monumentos incluídos nesta medida estão, além dos mencionados, o Panteão, a Sainte Chapelle e o Palácio Real.

Paris decidiu se blindar diante da possibilidade de as manifestações não autorizadas que foram convocadas pelo movimento dos “coletes amarelos” para amanhã por toda a França possam derivar em uma explosão de violência e distúrbios, como já aconteceu no último sábado.

O primeiro-ministro da França, Édouard Philippe, anunciou ontem “uma mobilização excepcional” de 89 mil agentes das forças da ordem para trabalhar durante os protestos, dos quais 8 mil ficarão na capital.

A polícia de Paris recomendou aos comerciantes da região da Champs-Élysées, que inclui tanto essa avenida como as ruas adjacentes, que fechem suas portas e acessos.

Além disso, pediu que retirem dos locais sensíveis material de obras e outros elementos que podem servir como projéteis.

O aviso também aconselha os comerciantes a protegerem seus estabelecimentos de eventuais danos, como instalar painéis nas vitrines, e a recolher todos os objetos vulneráveis.