Primeiro-ministro do Iêmen renuncia

Mohammed Salem Basandawa deixou o cargo pressionado pelo movimento xiita dos houthis, que pedem subsídios aos combustíveis

O primeiro-ministro do Iêmen, Mohammed Salem Basandawa, apresentou neste domingo sua renúncia como passo prévio à formação de um novo governo após a pressão nas ruas do movimento xiita dos houthis, informou à Agência Efe uma fonte governamental.

Em comunicado ao povo iemenita, Basandawa informou sobre sua decisão, antes de apresentar sua renúncia oficialmente perante o presidente do país, Abdo Rabbo Mansour Hadi, aproveitando que está sendo realizada uma reunião extraordinária do governo em Sana.

O primeiro-ministro acusou Hadi de ‘monopolizar o poder’ e de não respeitar o princípio de cooperação entre o chefe do Estado e o chefe do governo, segundo o estipulado no acordo pelo qual se formou o Executivo, em 2012, após a renúncia do ex-presidente Ali Abdullah Saleh.

Além disso, Basandawa disse que não esteve de acordo com Hadi na maior parte dos dois anos e nove meses que está à frente da coalizão nacional formada em fevereiro de 2012.

Os houthis exigem a formação de um novo governo e a restauração dos subsídios aos combustíveis, embora para as autoridades estas demandas sejam apenas a fachada de uma tentativa de obter mais poder.

Após pegar em armas em 2004, os insurgentes xiitas controlam desde 2010 a província de Saada e tentam há ampliar as zonas sob seu domínio.

O Iêmen se tornou mais instável desde que explodiram os protestos em 2011 contra Saleh, que cedeu o poder em fevereiro de 2012 para Hadi.