Venezuela recebe primeiro carregamento de ajuda humanitária

Na semana passada, o presidente Nicolás Maduro negociou com a Cruz Vermelha a entrada de ajuda humanitária no país

Caracas — Uma primeira remessa de ajuda humanitária encaminhada pela Federação da Cruz Vermelha chegou à Venezuela, nesta terça-feira, proveniente do Panamá, disseram um representante da organização e um deputado venezuelano.

Mario Villarroel, presidente da Cruz Vermelha da Venezuela, acrescentou em um vídeo divulgado pela organização em sua conta no Twitter que suprimentos médicos, geradores de energia e remédios que “serão distribuídos a diversos hospitais” entraram no país sul-americano.

O envio da ajuda e os prazos de entrega serão definidos pela Cruz Vermelha, acrescentou o deputado Miguel Pizarro na sede administrativa do Congresso da Venezuela.

“A ajuda de várias filiais nacionais da Cruz Vermelha estava no Panamá. Este é o primeiro envio, e outros aviões vêm nos próximos dias”, disse o parlamentar, dizendo que “esta ajuda entra sem interferência” por parte do governo do presidente Nicolás maduro.

Na primeira leva, chegaram cerca de 14 geradores de energia de 6.500 kilowatts cada um, 5 mil litros de água destilada e três centros cirúrgicos com capacidade para atender 10 mil pessoas cada, além de outros insumos que não foram detalhados pelas autoridades.

Em fevereiro, o chefe do Congresso, Juan Guaidó, que invocou a Constituição para se proclamar presidente interino, tentou sem sucesso conseguir o ingresso de ajuda humanitária através da fronteira.

Em 29 de março, a Federação Internacional da Cruz Vermelha anunciou a distribuição de remédios e equipamentos médicos depois de realizar reuniões com instituições do Estado, organizações sociais, humanitárias e políticas.