Presidente de universidade é acusado de encobrir pedofilia

A promotoria de Harrisburg, na Pensilvânia, formalizou as acusações por perjúrio, obstrução à justiça, ameaça ao bem-estar de menores e conspiração

Washington – O ex-presidente da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, Graham Spanier, foi acusado nesta quinta-feira por encobrir abusos sexuais contra menores de idade cometidos pelo ex-treinador de futebol americano Jerry Sandusky, que está preso.

A promotoria de Harrisburg, na Pensilvânia, formalizou as acusações por perjúrio, obstrução à justiça, ameaça ao bem-estar de menores e conspiração, além de ter feito o mesmo contra dois ex-assistentes de Sandusky.

O ex-treinador, de 68 anos, foi levado nesta semana para um presídio de segurança máxima, onde cumprirá sua sentença, que deve variar de 30 a 60 anos de prisão. Ele já foi condenado por abusos sexuais cometidos enquanto trabalhava como treinador na Universidade da Pensilvânia. Na época Sandusky fazia parte da equipe ao lado do lendário diretor técnico Joe Paterno.