Presidente da Grécia pede “sangue frio” para enfrentar crise

Papoulias disse que estas eleições são "críticas" e desejou que o povo heleno, "que tem uma experiência longa, eleja os melhores para o parlamento"

Atenas – O presidente grego, Karolos Papoulias, pediu neste domingo ao povo heleno união e “sangue frio” para enfrentar os problemas do país.

Em declaração realizada aos meios de comunicação pouco após depositar seu voto na cidade de Ioannina, no noroeste da Grécia, Papoulias disse que estas eleições são “críticas” e desejou que o povo heleno, “que tem uma experiência longa, eleja os melhores para o parlamento”.

A escolha do futuro presidente da República foi a detonante que provocou a convocação de eleições antecipadas, já que o candidato proposto pelo partido governamental Nova Democracia, o ex-comissário europeu Stavros Dimas, não conseguiu a maioria necessária.

Segundo a lei grega, para que um candidato seja eleito presidente da República, é necessária uma maioria de dois terços dos 300 deputados do parlamento grego nas duas primeiras votações, e de 180 na terceira.

O candidato do governo não conseguiu, por isso que era imperativa a convocação eleitoral.

“Durante os próximos anos haverá problemas e por isso digo que é necessária a unanimidade no modo de tratá-los e sangue frio para fazer frente a toda dificuldade”, disse.

“Acho, e repito, que o povo heleno dispõe da sabedoria, conhecimento e determinação necessária”, afirmou Papoulias em uma declaração de marcada de caráter institucional.