Presidente chinês assumirá país em meio a problemas

O país enfrenta desequilíbrio econômico, ampla disparidade na distribuição de renda, corrupção generalizada e questões alimentares e ambientais

Pequim – O novo presidente da China, Xi Jinping, assume o governo no momento em que o país enfrenta problemas de desequilíbrio econômico, ampla disparidade na distribuição de renda, corrupção generalizada e questões alimentares e ambientais que vêm acompanhando o crescimento político e econômico chinês.

Xi, cujo pai foi um famoso líder revolucionário, vem agindo de forma rápida desde que se tornou líder do Partido Comunista para consolidar apoio entre as forças armadas.

Ele enfatizou a prontidão para combates realizando visitas a unidades militares e assumindo controle direto de uma escalada de operações civis e militares em razão da disputa de ilhas controladas pelo Japão no Mar da China Oriental.

Li Yuanchao, ex-chefe do Departamento de Organização do partido, que foi confirmado como vice-presidente, é visto por membros do partido e por analistas como um dos mais reformistas entre os principais líderes chineses, acredita-se que ele agirá de forma semelhante ao atual presidente, Hu Jintao. O novo comitê chinês é amplamente dominado por protegidos e apoiadores de outro ex-líder chinês, Jiang Zemin.

Analistas dizem que equilibrar as facções do poder é a chave para o partido manter a estabilidade. “Esse é um gesto muito simbólico de equilíbrio entre interesses faccionários”, disse Joseph Cheng, professor de ciência política na Universidade de Hong Kong. “É uma reafirmação para líderes mais jovens e os chamados reformistas.”


Como já se esperava, a China formalizou nesta quinta-feira o nome de Xi como presidente do país. Ele havia sido eleito líder do Partido Comunista em novembro, durante votação no Congresso Nacional Chinês, que endossa as decisões do partido.

Como é tradição do governo chinês, o líder do partido é nomeado presidente, posteriormente tornando o anúncio apenas uma formalidade.

O Congresso também confirmou Li como vice-presidente e Zhang Dejiang como presidente do Parlamento. O vice-presidente normalmente tem assento garantido no Comitê do Politburo, corpo de decisão do partido, e o posto de Li o torna favorito para subir ao topo do governo em 2017.

No Congresso, Xi recebeu 2,952 votos favoráveis, um contra e três abstenções. Na sexta-feira, a China espera também a nomeação de seu novo primeiro-ministro, espera-se que o vice-primeiro-ministro, Li Keqiang, seja elevado a este posto. As informações são da Dow Jones.