Prefeito elimina alta da tarifa no transporte após protestos

O prefeito de Assunção eliminou o aumento de 20% nas tarifas de ônibus públicos aplicada em janeiro no Paraguai

Assunção – O prefeito de Assunção, Arnaldo Samaniego, eliminou nesta terça-feira o aumento de 20% nas tarifas de ônibus públicos aplicada em janeiro no Paraguai, que provocou uma série de manifestações na capital do país.

A resolução foi ratificada por Samaniego depois que no final de janeiro a Junta Municipal aprovou a suspensão do aumento, o que a partir de agora afetará as seis linhas internas que transitam por Assunção, informou à Agência Efe Armando Aguayo, do escritório de imprensa da intendência.

“A Junta resolveu essa resolução baseando-se em um estudo da Secretária de Transporte da Área Metropolitana, e era decisão do prefeito aceitá-la ou vetá-la”, declarou Aguayo.

Após a resolução, o preço do ônibus urbano em Assunção retorna para os 2 mil guaranis (US$ 0,43) ao invés dos 2.400 guaranis (US$ 0,52) que foram aplicados em 1º de janeiro nos recorridos metropolitanos do país.

A capital segue assim o exemplo da cidade de Luque, na Grande Assunção, que tinha optado por uma medida similar, embora a alta das tarifas se mantém na maioria dos municípios dessa área metropolitana.

O encarecimento do transporte público, efetuado depois que o Estado eliminou os subsídios ao transporte de ônibus, provocou a resposta de milhares de pessoas em diferentes manifestações populares.

Em 3 de janeiro, na primeira das manifestações em Assunção, a polícia deteve 14 pessoas acusadas de perturbação da paz pública e resistência à autoridade.