Pouco utilizado, Soccer City está bem conservado

o Soccer City sobreviveu aos primeiros quatro anos pós-Mundial, internamente, o estádio está limpo e com as cadeiras conservadas

Johannesburgo – Imponente estádio reformado para a Copa do Mundo de 2010 – uma reforma que atrasou bastante e quando a arena foi entregue, em 15 de abril daquele ano, ainda havia acabamento por fazer -, o Soccer City sobreviveu aos primeiros quatro anos pós-Mundial.

Apesar de ser pouco utilizado, com raras partidas de futebol, alguns shows e um ou outro evento diverso, desde convenção de empresa a festa de casamento, está bem conservado. Nesta terça-feira, quando a seleção brasileira treinou no local para a partida da quarta-feira contra a África do Sul foi possível perceber que o estádio está bem cuidado.

Internamente, o estádio está limpo e com as cadeiras conservadas. O gramado apresenta-se em bom estado. Do lado de fora, o Soccer City, que era um “terrão”, agora está completamente concluído. As alamedas estão todas calçadas, com cimento, e os jardins, gramados. As ruas também estão limpas e bem sinalizadas.

O trânsito ao redor da arena, que era um caos em 2010, agora funciona bem, de acordo com pessoas que trabalham no estádio. Há engarrafamentos no caminho de Soweto, bairro em cuja entrada fica o Soccer City, nos horários de pico, de acordo com relatos.

Apesar da pouca utilização, a partida entre Brasil e África do Sul é a segunda atividade no Soccer City em cinco dias. No último sábado, ocorreu um show do cantor Santana, para 22 mil pessoas. O estádio tem capacidade para 94 mil espectadores.