Porta-aviões dos EUA chega à península coreana para manobras

Depois de provocar Coreia do Norte, grupo que inclui destróieres e navios de patrulha, com aviões a bordo, irá realizar novas manobras na costa da sul-coreana

Um grupo naval da marinha americana, liderado pelo porta-aviões USS Nimitz, chegou neste sábado à costa a Coreia do Sul para realizar novas manobras, dez dias depois de exercícios que provocaram a ira de Pyongyang, anunciaram fontes americanas.

O grupo inclui destróieres e navios de patrulha, com 64 aviões a bordo, disse à imprensa o contra-almirante Mike S.White após a chegada do Nimitz ao porto de Busan (sul).

É de uma “importância vital” manter a inter-operatividade com sócios como a Coreia do Sul, acrescentou.

Ele se negou a confirmar informações da imprensa segundo as quais as manobras irão ocorrer na próxima semana.

Este deslocamento das forças navais americanas ocorre em um contexto de grande tensão na península coreana devido às ambições renovadas de Pyongyang sobre seu programa nuclear.

A Coreia do Sul e os Estados Unidos concluíram no dia 30 de abril manobras conjuntas que mobilizaram durante dois meses o exército sul-coreano e cerca de um terço dos 28.500 soldados americanos presentes na Coreia do Sul.

Pyongyang havia condenado estes exercícios anuais, que, segundo ela, se assemelham a uma invasão de seu território por parte de Seul com o apoio dos Estados Unidos.

A península coreana viveu um aumento de tensões após o disparo bem-sucedido em dezembro de um foguete considerado por Seul e por seus aliados como um míssil balístico, seguido de um terceiro teste nuclear em fevereiro e de sanções do Conselho de Segurança da ONU. Pyongyang ameaçou com ataques e com uma guerra nuclear e mobilizou mísseis de alcance variável ao longo de sua costa.