Pornografia é causa de execuções na Coreia do Norte

ONU denuncia execuções na Coreia do Norte por infrações como vender vídeos ilegalmente, ver material pornográfico ou consumir drogas

Genebra – Relatores da ONU sobre direitos humanos denunciaram nesta quarta-feira as execuções que ocorreram na Coreia do Norte nos últimos quatro meses “por infrações como vender vídeos ilegalmente, ver material pornográfico ou consumir drogas“.

Isto mostra o total desprezo aos direitos fundamentais por parte do regime do país, advertiram os relatores.

Além isso, eles afirmam que a recente execução do tio do líder norte-coreano considerado número dois do governo, Jang Song-thaek, é apenas uma entre muitas que permanecem desconhecidas.

“A prisão, o julgamento e a execução de Jang Song-thaek, tudo isso ocorreu em cinco dias”, lembrou o relator especial da ONU sobre a Coreia do Norte, Marzuki Darusman.

O tio do dirigente norte-coreano, Kim Jong-um, é acusado, entre outros delitos, de cometer atos contra o partido único e a revolução em uma tentativa de derrubar o atual líder.

Sobre a política de execuções em geral, Darusman disse que está muito preocupado com a prática – amplamente documentada – de considerar alguém “culpado por associação”. Ou seja, quando alguém é punido por crimes políticos ou ideológicos a família e outros membros de seu entorno também podem ser presos ou executados.

Os comentários e preocupações de Darusman foram compartilhados pelo relator da ONU contra a tortura, Juan Méndez.