Por que as mulheres vestiram branco durante o discurso de Donald Trump

O Congresso dos EUA é ocupado por um número recorde de mulheres. E elas protagonizaram um momento emocionante durante fala de Trump sobre Estado da União

São Paulo – Após a paralisação mais longa da história dos Estados Unidos, o presidente Donald Trump finalmente fez o tradicional discurso sobre o Estado da União na noite desta terça-feira, 5 de fevereiro. Na plateia, no entanto, um detalhe chamou a atenção dos espectadores e também do presidente: várias das mulheres eleitas para o Congresso, a maioria delas do Partido Democrata, estavam vestidas de branco.

A cor foi escolhida como uma forma de homenagear o movimento sufragista, que lutou pelo direito ao voto para as mulheres no início do século XIX. E essa lembrança não poderia ser mais pertinente, já que os Estados Unidos celebram em 2019 os cem anos dessa conquista e num momento no qual o Congresso é ocupado por um número recorde delas.

Essas mulheres protagonizaram, ainda, um dos momentos mais tocantes do discurso presidencial. “Todas as mulheres podem se orgulhar de que temos mais mulheres do que nunca na força de trabalho e exatamente um século depois de o Congresso aprovar a emenda constitucional que garante a elas o direito ao voto, também temos mais mulheres atuando no Congresso”, disse Trump, que foi surpreendido pelo aplauso das mulheres da plateia, que comemoravam a conquista.

Além das democratas, outra mulher chamou a atenção ao usar a cor: Tiffany Trump, uma das filhas do presidente. A atitude da jovem levantou questionamentos sobre sua posição política, já que o ato das democratas também teve como objetivo simbolizar direitos das mulheres que consideram ameaçados pela agenda conservadora de Trump. Até o momento, contudo, não há manifestações oficiais sobre o tema.

 

Mulheres na política

Ao todo, 127 mulheres se consagraram como vitoriosas nas eleições legislativas de 2018. 102 delas vão ocupar assentos na Câmara dos Representantes, onde o Partido Democrata terá a maioria, e 25 estarão no Senado, que segue controlado pelo Partido Republicano de Trump. O número de candidatas nessas eleições também é histórico, 237. 

Em entrevista a EXAME, a professora Melissa Michelson, que pesquisa a participação das mulheres e minorias nas eleições americanas, as eleições legislativas de 2018 trouxeram à tona conquistas importantes, especialmente para a representatividade feminina na política. No entanto, ela lembra que a sonhada igualdade ainda não chegou: “Os homens ainda dominam a política americana e isso deve continuar assim por muito tempo. ”