Pompeo: sem melhora substancial, Trump deve deixar acordo com Irã

Secretário de Estado dos EUA disse que falará com aliados sobre falhas do acordo nuclear com a nação do Oriente Médio e sobre formas de "consertá-lo"

O novo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse nesta sexta-feira que, se não houver uma solução substancial para o acordo nuclear com o Irã, é improvável que o presidente Donald Trump permaneça no pacto.

Pompeo disse que falará com os aliados não apenas sobre as falhas do acordo, mas também sobre formas de “consertá-lo”. Ele falou com os aliados em uma reunião à margem da reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e disse que seria um tópico nas conversas em suas viagens nos próximos dias pela Arábia Saudita, Israel e Jordânia.

Pompeo disse que não estava apenas falando sobre “as preocupações expressadas pelo presidente Trump de forma consistente, mas falando sobre maneiras de lidar com essas deficiências, encontrando potenciais soluções para as mesmas falhas que o presidente Trump identificou há muito tempo”.

A França, a Alemanha e o Reino Unido apresentaram um plano para um acordo adicional que busca conter o programa de mísseis balísticos do Irã, permitir inspeções mais intensivas e tentar conter a influência de Teerã na região.

Pompeo disse que nenhuma decisão foi tomada sobre a possibilidade de sair do acordo com o Irã, mas a posição de Trump é clara.

“Sem uma melhora substancial, na tentativa de corrigir as falhas, é improvável que ele continue no negócio”, disse Pompeo.