Política domina debate sobre criação de empregos nos EUA

Dados sobre mercado de trabalho serão divulgados no dia do segundo debate entre Bush e Kerry

O debate sobre emprego nos Estados Unidos vai esquentar essa semana. A avaliação é do americano The Wall Street Journal, que lembra em sua edição desta terça-feira (5/10) que novos dados sobre o mercado de trabalho americano serão divulgados sexta-feira, no mesmo dia do segundo debate entre o presidente republicano George Bush, candidato à reeleição, e o senador democrata John Kerry. Um terceiro encontro, específico sobre política interna, está agendado para a quarta-feira da próxima semana.

Os números de sexta-feira serão os últimos antes das eleições de 2 de novembro. Os republicanos esperam pela redução do déficit de empregos gerado durante a gestão de Bush, tirando assim preciosa munição política das mãos de Kerry, cuja estratégia de campanha inclui ataques à política econômica republicana, especialmente ao desempenho pífio na geração de empregos e à insistência na redução indiscriminada de impostos.

Segundo The Wall Street Journal, enquanto o foco dos mercados é a estatística de empregos para setembro, os políticos devem prestar mais atenção aos dados de períodos mais longos. Um estudo mencionado pela reportagem indica que nos nove períodos de recessão que ocorreram nos Estados Unidos – depois da 2ª Guerra Mundial e antes da atual – houve quase total recuperação nos empregos depois de três anos. No caso da mais recente recessão, iniciada em 2001, o comportamento da curva de emprego acompanhou a média histórica nos primeiros 18 meses, mas depois manteve-se em queda, contrariando a tradição. Ao final de três anos, a taxa de variação do emprego permanece negativa, em -2,2%.