Policial tinha controle quando matou negro, diz testemunha

O homem que gravou o vídeo de policial disparando oito vezes nas costas de um homem negro disse que o agente "tinha controle da situação" quando atirou

Washington – O homem que gravou o vídeo em que é possível ver um policial nos Estados Unidos disparar oito vezes nas costas, matando o afro-americano Walter Scott, de 50 anos, disse nesta quarta-feira que o agente “tinha controle da situação” quando abriu fogo.

Em uma entrevista emissora “NBC”, o homem que gravou o vídeo com seu telefone celular, Feidin Santana, explicou que começou a gravar quando os dois homens estavam no chão e que nesse momento o policial “tinha o controle da situação”.

“Ele tinha Scott controlado. E Scott só tentava escapar da pistola elétrica. Como se vê no vídeo, o agente disparou nas costas. Nesse momento soube que tinha algo importante em minhas mãos”, disse Santana, também negro.

Santana entregou o vídeo à família da vítima e a gravação, que permitiu que o caso ganhasse relevância internacional e abrisse todos os noticiários americanos, valeu a ele o adjetivo de “herói” por parte dos advogados que representam os familiares de Scott.

O agente Michael Slager, branco de 33 anos, prestou depoimento ao juiz hoje, um dia depois de ter sido detido pela morte de Scott no sábado.

O vídeo gravado por Santana e divulgado na terça-feira foi vital para que as autoridades tenham prendido imediatamente Slager, que foi demitido, detido sem direito a fiança, por assassinato, crime que na Carolina do Sul pode ser punido com a pena de morte.