Polícia prende atirador que deixou 20 mortos em supermercado no Texas

A polícia encontrou um manifesto do atirador preso que indica um possível vínculo com crime de ódio

O ataque a tiros deste sábado (3) numa loja do Walmart situada dentro de um shopping da cidade de El Paso, Texas, deixou 20 mortos e 26 feridos, informaram o governador deste estado americano e chefe da polícia local.

“Vinte pessoas inocentes de El Paso perderam a vida”, declarou Greg Abbott Abbott, numa coletiva de imprensa.

“Um dia em que seria normal alguém ir às compras tranquilamente se tornou um dos dias mais letais da história do Texas”, acrescentou o governador.

Presente na coletiva, o chefe de polícia dessa cidade americana que fica na fronteira com o México, Greg Allen, disse aos jornalistas que há 26 feridos e que o suspeito pelo ataque é “um homem branco de 21 anos”, que está preso.

Allen informou ainda que a polícia encontrou numa rede social “um manifesto deste indivíduo que indica, em certa medida, um possível vínculo com crime de ódio”.

Mais cedo a imprensa local havia identificado o suspeito como Patrick Crusius, morador de Dallas.

As primeiras informações sobre o ataque fornecidas por testemunhas, indicavam que pelo menos três pessoas estariam envolvidas nesta ação. Imagens gravadas por pessoas que estavam no centro comercial onde fica a unidade da Walmartmostram vários corpos caídos no estacionamento do local.

– Vítimas com idades entre dois e 82 anos –

“Nós, como estado, nos unimos em apoio a essas vítimas e seus familiares … Oramos para que Deus possa estar com aqueles que foram prejudicados de alguma forma e amenizar suas feridas”, declarou o governador texano.

De acordo com a cobertura da imprensa americana, as vítimas atendidas nos hospitais da região têm idades entre dois e 82 anos. Para atender os feridos, as autoridades de El Paso fizeram um apelo por doação de sangue.

No “manifesto” supostamente escrito pelo suspeito do massacre, citado pelo chefe de polícia da cidade, há um trecho que critica a “invasãohispânica” do Texas e que deixa claro que ele esperava ser morto durante o ataque.

El Paso fica perto da fronteira com a mexicana Ciudad Juárez e sua população é em grande parte de origem hispânica.

Logo após a divulgação do número de vítimas, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, publicou um vídeo no Twitter no qual informa que entre os mortos há três cidadãos mexicanos.

“Fui informado que três mexicanos perderam a vida neste tiroteio”, disse o presidente na publicação. Na mesma rede social, o secretário de Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, comunicou que há seis cidadãos do país entre os feridos.

“Minhas condolências aos americanos que perderam suas vidas, aos mexicanos que perderam suas vidas, esse fato é muito lamentável. Conheço El Paso, Texas, sei que é um lugar muito pacífico, dos condados com menos violência nos Estados Unidos”. disse Obrador.

Veja também

Tiros a esmo

Testemunhas disseram que o atirador parecia estar atirando ao acaso quando abriu fogo por volta das 10H30 locais (as primeiras informações indicavam que o ataque teria começado por volta do meio-dia), 13H30 pelo horário de Brasília.

Uma mulher, que se apresentou como Vanessa, disse que tinha acabado de entrar no estacionamento do Walmart quando o tiroteio começou.

“Você podia ouvir os disparos, um após o outro e naquele momento quando eu estava voltando, eu vi uma senhora, parecia que ela estava saindo do Walmart, indo para o carro. Ela tinha suas compras no carrinho e eu a vi apenas cair “, disse a testemunha à Fox News.

“Eu vi um homem com uma camiseta preta e calça de camuflagem que usava o que parecia ser um rifle, apontava para as pessoas e atirava diretamente nelas, vi três ou quatro caindo no chão”, continuou.

“Ele estava apenas atirando aleatoriamente. Não era para qualquer pessoa em particular. Era qualquer um que cruzasse seu caminho”, concluiu.

Outro cliente descreveu como conseguiu evitar ser atingido, escondendo-se junto com sua mãe entre duas máquinas de venda automática do lado de fora da loja.

“Foi aí que o indivíduo tentou atirar em mim, e ele errou porque eu me abaixei”, disse Robert Curado ao El Paso Times.

Outra testemunha contou que ajudou pessoas feridas no estacionamento do shopping. “Infelizmente, perdemos um senhor”, declarou a uma emissora de televisão.

Pânico

Quando começaram os disparos, havia entre mil e três mil clientes e 100 funcionários no supermercado, segundo Robert Gomez, porta-voz da polícia local.

Uma imagem gravada com telefone celular por uma testemunha mostra trêscorpos caídos imóveis no estacionamento do Walmart.

Um deles estavaao lado de um caminhão, enquanto dois estavam na calçada em frente à entrada da loja. “Ambulância! Socorro!”, gritam pessoas enquanto correm em direção das vítimas.

“Como você está, irmão, como você está?”, diz um homem para uma pessoa alvejada durante a gravação.

Em outros vídeos é possível ver clientes aterrorizados correndo em direção à saída da loja enquanto ecoavam os disparos.

Uma imagem gravada por câmeras de vigilância mostra o suposto autor do ataque portando o que parece ser um fuzilAK-47.

Por volta do meio-dia (14H00 de Brasília) a polícia de El Paso pediu à população, através do Twitter, para não se aproximar do centro comercial: “Alerta tiroteio, fiquem longe do centro comercial Cielo Vista, a situação ainda está em desenvolvimento”.

Imediatamente foi enviado um forte contingente de segurança, incluindo carros blindados, para o local.

Emissoras de televisão americanas mostraram imagens das equipes de segurança na área do ataque.

A delegação do Dallas da Agência Federal para o Controle de Armas, Explosivos, Tabaco e Álcool (ATF) anunciou que estava a caminho do shopping para ajudar a polícia de El Paso

Consternação

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenouo “terrível” tiroteio ocorrido na cidade texana, mencionando informações de “muitos mortos”.

“Terrível tiroteio em El Paso, os relatos são muito ruins, muitos mortos”, postou Trump no Twitter, acrescentando que falou com o governador do Texas, Gregg Abbott, para oferecer-lhe “o apoio do governo federal”.

“Estamos trabalhando com as autoridades estaduais e locais. Falei com o governador para oferecer apoio total ao governo federal. Deus esteja com todos vocês!”, escreveu Trump.

“Hoje, a comunidade de El Paso foi atingida por um ato de ódio e violência sem sentido”, declarou Abbott através de um comunicado.

O prefeito de El Paso, Dee Margo, declarou à rede CNN: “Isto é uma tragédia, estou chocado”.

“Estamos em estado de choque”, informou a direção da rede Walmart através de uma nota, garantindo que estava trabalhando em estreita colaboração com a polícia.

Beto O’Rourke, um ex-congressista por El Paso, que agora está concorrendo à presidência, cancelou os compromissos de campanha após ser informado sobre o massacre.

“Estou incrivelmente triste e é muito difícil pensar sobre isso. Mas eu digo que El Paso é o lugar mais forte do mundo, essa comunidade vai se unir”, disse a correligionários.

Tiroteios frequentes

Este é o terceiro atentado a tiros registrado nesta semana nos Estados Unidos. Na terça-feira passada, duas pessoas morreram e um policial foi ferido numa loja da rede supermercados Walmart no estado do Mississipi.

No domingo, três pessoas, incluindo uma criança de seis anos, morreram quando um homem de 19 anos entrou armado em um festival gastronômico em Gilroy, Califórnia, ao sul de San Francisco, e abriu fogo contra as pessoas que estavam no local.

Como ocorre a cada novo ataque a tiros nos EUA, várias vozes surgiram para exigir uma maior regulação do mercado de armas de fogo, algo que as altas esferas políticas ainda não enfrentaram com firme determinação.

“Nós carregamos as vítimas em nossos corações e prometemos continuar a agir em sua honra”, informou através do Twitter a organização que promove melhorias de segurança pública no Twitter Moms Demand Action (Mães Pedem Ação).

A senadora Elizabeth Warren, que é pré-candidata democrata às eleições presidenciais de novembro de 2020, disse que “muitas comunidades sofreram com tragédias como esta”.

“Devemos agir agora para acabar com a epidemia de violência armada do nosso país “, acrescentou.

Outro candidato presidencial, Cory Booker, disse que os Estados Unidos devem “acabar com esse pesadelo nacional” e “encontrar a coragem moral de tomar medidas para acabar com essa carnificina”.