Polícia holandesa prende 200 após novos protestos em Haia

Protestos majoritariamente de imigrantes começaram na segunda-feira por conta da morte de um homem do Caribe que estava sob custódia policial

Amsterdã – A polícia de Haia informou nesta sexta-feira que prendeu mais de 200 pessoas durante a noite por violarem termos do toque de recolher, à medida que protestos na cidade holandesa continuaram pela quarta noite.

Protestos no bairro Shilderswijk, majoritariamente de imigrantes, começaram na segunda-feira por conta da morte de um homem do Caribe que estava sob custódia policial.

No entanto, os distúrbios durante a noite desde então têm sido desprovidos de qualquer mensagem de protesto.

Moradores pediram para a polícia e os políticos restaurarem a ordem, enquanto o premiê Mark Rutte descreveu os jovens quem soltaram fogos de artifício e jogaram escombros na polícia como “retardado”.

O prefeito Jozias van Aartsen prometeu uma resposta mais forte.

De 61 pessoas que foram presas em conexão com os protestos na quinta-feira, a polícia informou que quase todas eram jovens suspeitos de vandalismo.

A maior parte dos 200 detidos na noite de quinta-feira e início desta sexta-feira foram levadas para a cadeira de ônibus, multadas e liberadas sob custódia de seus pais.