Polícia colombiana apoia eventual processo de paz com Farc

''Enquanto o governo antecipa os acordos de paz, nós temos que desdobrar um grande efetivo para combater todos os criminosos'', expressou José Roberto Léon

Bogotá .- A polícia colombiana apoia um eventual processo de paz entre o governo do presidente Juan Manuel Santos e a guerrilha das Farc, mas ao mesmo tempo mantém sua luta contra a criminalidade e o terrorismo, afirmou nesta segunda-feira o titular da instituição, o general José Roberto León.

”Enquanto o governo antecipa os acordos de paz, nós temos que desdobrar um grande efetivo para combater todos os criminosos, todas as manifestações de criminalidade e de terrorismo”, expressou Léon durante uma reunião entre comandantes da polícia em Bogotá.

Cerca de 200 oficiais dos 32 departamentos colombianos acompanharam o encontro, que se estenderá até quarta-feira.

Léon disse que ”a polícia Nacional apoia plenamente os avanços do presidente através de seus delegados para as conversas com os grupos ilegais”.

Santos revelou, em 27 de agosto, que seu governo tem mantido ”conversas com as Farc para buscar o fim do conflito”.

Além disso, o presidente prometeu que nos ”próximos dias” revelaria os resultados das conversas, fato que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) confirmaram nesta segunda com uma canção de rap divulgada em um vídeo em seu site.

Segundo a imprensa, as conversas entre ambas as partes foram iniciadas em 23 de fevereiro, em Havana. Cuba e Noruega devem ter papel de mediadores do processo, enquanto Venezuela e Chile serão acompanhantes.

As mesmas versões indicam que o governo e as Farc terão um encontro no próximo dia 5 de outubro, em Oslo, fato não confirmado por nenhuma das partes.