Polícia atira em islamita que atacou uma agente em Berlim

A promotoria informou em entrevista coletiva que o homem era um iraquiano de 41 anos que vivia na capital alemã, e que tinha sido condenado à prisão em 2008

Berlim – A polícia da Alemanha matou nesta quinta-feira em Berlim um islamita, condenado por filiação a organização terrorista, depois de ele atacar com uma faca uma agente, que ficou gravemente ferida.

A promotoria informou em entrevista coletiva que o homem era um iraquiano de 41 anos que vivia na capital alemã, e que tinha sido condenado à prisão em 2008 pela justiça de Stuttgart, no sul do país.

Ele estava em liberdade vigiada, usava um dispositivo eletrônico no tornozelo – que tirou na manhã de hoje – e era considerado “altamente agressivo”, após ter ameaçado recentemente uma juíza durante uma audiência.

Segundo as autoridades berlinenses, era Rafik E., principal processado por planejar um atentado contra o então primeiro-ministro iraquiano, Iyad Allawi na visita que fez em 2004 a Berlim.

Três membros da organização terrorista Ansar el Islam, vinculada à Al Qaeda, foram detidos, processados e condenados a prisão por esse complô.

Fontes da promotoria descartaram hoje, por considerar prematuro, atribuir um cenário terrorista ao ataque sofrido pela agente, de 30 anos.

Já o departamento de Interior da capital-estado de Berlim não descartou, no entanto, uma motivação religiosa para o ataque.

O ataque à agente policial ocorreu pouco depois das 8h, quando pessoas na rua alertaram a polícia da presença de um homem suspeito, armado com uma faca e em atitude ameaçadora, em Spandau, um distrito periférico de Berlim.

Imediatamente após receber o aviso foi organizada uma operação policial para detê-lo.

Uma dupla de policiais identificou o homem e se aproximou dele, momento em que ele feriu a agente, segundo o relato da promotoria.

As forças policiais efetuaram então vários disparos, sem que por enquanto se tenha estabelecido se foram só do agente que acompanhava a policial ferida ou de vários.

O iraquiano morreu pouco depois, enquanto a policial foi transferida de helicóptero para um hospital. Ela foi esfaqueada no abdome e baleada, provavelmente por seu colega.

A promotoria ordenou a revista da casa do suspeito para buscar possíveis indícios de vínculos terroristas.

Atualizado às 14h45.