Petróleo acirra as tensões entre China e Japão

Divergências já se estendem ao campo econômico, com a disputa por campos de petróleo em área reivindicada pelos dois países

As tensões entre China e Japão deixaram a área do revisionismo histórico e já chegaram aos assuntos econômicos. Companhias petrolíferas foram autorizadas pelo governo japonês a iniciarem perfurações e pesquisas em Xihu Trench, uma área em alto-mar situada a leste da cidade chinesa de Xangai e reivindicada pelos dois países.

A decisão do Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão acirrou as divergências entre Pequim e Tóquio. As tensões estouraram no início de abril, quando manifestantes chineses protestaram contra livros de história do Japão recém-publicados. As obras minimizam os crimes de guerra cometidos pelo Japão contra os chineses durante seu período imperial.

A China também está realizando prospecções no campo de Xihu Trench, mas o Japão afirma que eventuais descobertas de seu vizinho estarão relacionadas a uma reserva petrolífera que também se estende à porção japonesa de Xihu. Por isso, os japoneses exigem a suspensão das pesquisas na região.

De acordo com o jornal britânico Financial Times, a discussão sobre as reservas petrolíferas está inflamada pelo debate político. Há sinais de que o campo de Xihu Trench não apresenta reservas com potencial de exploração comercial. Em setembro do ano passado, por exemplo, a Royal Dutch Shell, uma das gigantes do setor petrolífero, e a americana Unocal abandonaram as pesquisas na área, sob a alegação de que as reservas não eram viáveis.