Peru diz que EUA fizeram papelão com vazamento

Ainda não foram divulgados os documentos com informações sobre o Peru, mas presidente criticou EUA por permitir o vazamento

Lima – O presidente do Peru, Alan García, declarou nesta terça-feira que os Estados Unidos fizeram um “papelão diplomático” por terem permitido o vazamento de milhares de documentos secretos, publicados na internet pelo Wikileaks.

Em declarações à imprensa, García acrescentou que “todos sabem que os Estados Unidos têm interesses no mundo, e todos conhecem seus adversários”.

As declarações de García ocorreram enquanto ainda não foi divulgado o conteúdo dos documentos referentes ao Peru, só se sabe que tratam de temas como o narcotráfico, o Governo de Alberto Fujimori e os conflitos fronteiriços com os países vizinhos.

“Se aparecerem algumas expressões não será nada novo – disse o Presidente -. Simplesmente é um papelão diplomático terem deixado vazar desta maneira todos os comentários internos”.

O governante peruano afirmou que as mensagens divulgadas são interpretações e testemunhos de diplomatas americanos, que incluem “frases em tom elevado” para qualificar alguns líderes mundiais.

“Não são documentos peruanos. Quando o senhor conversa com o embaixador dos Estados Unidos, ele imediatamente faz um reporte. Fazem relatórios ao Departamento de Estado ou fazem uma interpretação das coisas do Peru e enviam um relatório”, explicou García aos jornalistas em Lima.

“Mas essa é a opinião dos gringos, não são documentos peruanos”, especificou.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, condenou nesta segunda-feira o “roubo” de documentos, que considera não só “um ataque à diplomacia dos Estados Unidos, mas à comunidade internacional”.