Perto de prazo para presidente, protestos aumentam no Egito

Manifestantes contrários e a favor do presidente Mohamed Mursi aguardam fim do prazo nas ruas

São Paulo – Dentro de poucas horas, vence o prazo que o exército do Egito deu ao presidente Mohamed Mursi para resolver a crise política que se instalou no país. Com a proximidade do fim do prazo, crescem os protestos, tanto de quem é contra, quanto de quem é a favor do presidente.

A praça Tahrir, no Cairo, continua tomada por manifestantes que querem a renúncia do presidente (algo que Mursi disse na noite de terça-feira que não vai acontecer). Em outros bairros, manifestantes a favor do governo também estão nas ruas.

Enquanto isso, o exército está reunido para discutir o que fará quando chegar o final do prazo. Fontes militares disseram ontem para a Reuters que, entre as ações estudadas, estariam planos para suspender a constituição e dissolver o Parlamento do país.