Pedidos de auxílio-desemprego caem 22 mil nos EUA

Queda alta foi bem acima da estimativa de economistas, que previam declínio de 3 mil solicitações

Washington – O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego recuou 22 mil, para 405 mil, após ajustes sazonais, na semana até 9 de julho, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam declínio de 3 mil solicitações.

Não fosse a suspensão dos serviços públicos do Estado de Minnesota, por falta de consenso sobre o orçamento, a queda nos pedidos nacionais teria sido maior. No Estado, 11,5 mil servidores recorreram ao auxílio-desemprego.

A média móvel de pedidos feitos em quatro semanas – calculada para suavizar a volatilidade do dado – caiu 3.750, para 423.250.

Na semana encerrada em 2 de julho, o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego subiu 15 mil, para 3,73 milhões.

A taxa de desemprego para trabalhadores com seguro-desemprego permaneceu em 3% na semana até 2 de julho.

Nos EUA, as regras para distribuição do auxílio-desemprego variam de Estado para Estado e nem todos os desempregados têm direito ao benefício. As informações são da Dow Jones.