Paz na Colômbia?; Brexit indefinido…

A paz? 

O governo colombiano e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) anunciaram nesta quarta-feira a assinatura de um cessar fogo e um acordo de paz. Mais detalhes devem ser especificados nesta quinta, quando o acordo será oficialmente assinado em Havana – com a presença de diversos líderes mundiais responsáveis pela negociação. O tratado deve prever um cronograma para o cessar-fogo, a devolução de armas pelas Farc e um tribunal específico para julgamento de crimes cometidos pelos guerrilheiros. É provável que os termos ainda terão de ser aprovados pela população colombiana em referendo ou plebiscito, conforme prometido pelo presidente Juan Manuel Santos.

Indecisão no Reino Unido

Um dia antes do referendo que decide a permanência do Reino Unido na União Europeia, as pesquisas sobre o resultado permanecem incertas. Dentre os dois principais levantamentos publicados nesta quarta, os favoráveis à permanência se encontram um ponto percentual à frente na pesquisa da Opinium e dois pontos atrás na da TNS. Contudo, a pesquisa anterior da TNS, feita em 14 de julho, mostrava um resultado muito mais favorável à saída, que tinha sete pontos de vantagem sobre a permanência – o que pode mostrar uma mudança de opinião no eleitorado britânico. Em média, cerca de 9% da população ainda segue indecisa.

Brexit já causa perdas

Um relatório da S&P Global Market Intelligence mostrou que, desde o dia 15 de julho, os investidores retiraram mais de 11 bilhões de dólares das 10 maiores economias da Europa, devido à preocupação com um possível Brexit. Só o Vanguard FTSE Europe, um dos maiores fundos de investimento da Europa, retirou mais de 1 bilhão dos mercados europeus.

Trump é melhor

Uma pesquisa feita pela agência de notícias Bloomberg entre mais de 900 investidores e pessoas ligadas ao mercado financeiro mostrou que o candidato republicano à presidência americana, Donald Trump, instiga mais confiança do que a rival Hillary Clinton. Dentre os entrevistados, 50% acreditam que uma vitória de Trump será melhor para seus negócios, enquanto apenas 33% avaliam Hillary dessa forma. As respostas foram similares tanto entre pequenos quanto grandes investidores. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Índia ao infinito e além

A Índia enviou ao espaço nesta quarta-feira um foguete com 20 satélites, quebrando um recorde na história espacial do país: é a maior operação espacial indiana, e a terceira com o maior número de satélites já lançados numa única missão no mundo. Em 2008, a Índia já havia quebrado um recorde ao enviar 10 satélites ao espaço, mas foi ultrapassada em seguida por Estados Unidos e Rússia. Os Estados Unidos são donos de alguns dos satélites lançados na missão indiana, assim como Canadá, Alemanha e Indonésia. Estima-se que os custos de lançar satélites num foguete indiano seja pelo menos 50% menor do que numa missão americana, por exemplo.

Os paineis da Tesla 

A montadora de veículos elétricos Tesla fez uma oferta de 2,8 bilhões de dólares pela SolarCity, fabricante de painéis solares. Se concretizado, o negócio criaria a maior empresa de energia solar dos Estados Unidos. A transação é a menina dos olhos do executivo Elon Musk, que é presidente do conselho da SolarCity e presidente e fundador da Tesla. O mercado não reagiu bem à notícia e as ações da Tesla caíram cerca de 10%, diante da desconfiança de que o negócio afastaria a montadora do setor automotivo. Musk disse que a negociação faria o valor de mercado da Tesla – hoje em 30 bilhões de dólares – saltar para até 1 trilhão no futuro.

Instagram dobra 

O aplicativo de fotos Instagram dobrou sua base de usuários em dois anos, chegando a 500 milhões de pessoas e 95 milhões de fotos e vídeos postados diariamente. Dados divulgados nesta quarta-feira mostram ainda que 80% dos usuários do aplicativo são de fora dos Estados Unidos. A empresa foi comprada pelo Facebook por 1 bilhão de dólares em 2012, na primeira grande aquisição da companhia de Marck Zuckerberg.