Passageiro que veio aos EUA e foi isolado não tem ebola

O passageiro em questão foi barrado em uma triagem realizada com estrangeiros vindos da Libéria, Serra Leoa e Guiné, segundo uma porta-voz

Washington – Um passageiro que chegou aos Estados Unidos na tarde da terça-feira e foi levado a um hospital de Nova Jérsei com sintomas do ebola não foi diagnosticado com a doença, segundo um agente da autoridade portuária da região.

Patrick Foye, diretor executivo do órgão, que opera os maiores aeroportos da cidade de Nova York, afirmou nesta quarta-feira que não houve “indicações positivas para o ebola” de passageiros chegando na região, incluindo o viajante levado para o hospital.

O passageiro em questão foi barrado em uma triagem realizada com estrangeiros vindos da Libéria, Serra Leoa e Guiné, segundo uma porta-voz do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

De acordo com a representante, o indivíduo em questão foi identificado com sintomas ou com uma possível exposição ao vírus.

As autoridades não divulgaram informações sobre o passageiro.

Ainda nos EUA, um cinegrafista se recuperou do ebola e está pronto para receber alta nesta quarta-feira.

Ashoka Mukpo é o quinto paciente transportado do oeste da África a melhorar da doença nos Estados Unidos.

“Muitos não tiveram a sorte que eu tive. Estou muito feliz de estar vivo”, disse.

O ex-conselheiro da Casa Branca, Ron Klain, irá se encontrar com o presidente Barack Obama e seus principais assessores no salão Oval na tarde de hoje para dar início ao seu trabalho de combate ao ebola.

Ele foi indicado pelo chefe de Estado para coordenar as agências federais que atuam juntas para lidar com o surto da doença nos Estados Unidos e na África. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.